domingo, 29 de maio de 2011

Noite passada...

Entraste devagar.Quase como uma brisa … Mas quente… tão quente que quase me queimava.Olhaste-me.Assentiste com a cabeça, deste-me aquele teu olhar, deixaste-me os pensamentos á flor da pele.Quase que te cheirava a respiração…Estava completamente perdida nas páginas da minha imaginação. Quando de um arrombo, tocaste-me…Sim, tocaste-me, encostaste a tua mão na minha pele…Senti-te quente.Tão quente que me deixaste gelada…Sussurraste-me ao ouvido, toda eu tremi… tremeram-me as pernas, tremeram-me os braços, tremeu-me a voz…Num instante estava em sua cama… A tua mão no meu cabelo, que arrepio…Senti as tuas formas, senti a tua fonte de vida palpitante no meu ser, um jubilo de loucura, um grito que queria sair, uma força que me impedia de fazer o que quer que fosse…Viraste-me. Olhaste-me de cima a baixo. Podia ver o teu olhar a percorrer cada centímetro da minha pele.Cruzaste as minhas mãos ao cimo da cabeça, beijaste-me o pescoço… hmmmm… estava a entrar naquele transe que tanto gosto…Fechei os olhos, deixei-me conduzir, como um tango que soava no meu ouvido.Fitaste-me os olhos, neles podias ver o bailado de imagens que percorriam o meu pensamento, sorriste. Percebeste claramente o que me atravessava a mente…Mudaste a expressão.Rasgaste-me a blusa olhaste-me como um lobo olha a presa.Estava encurralada, não tinha para onde fugir, também não queria. Queria ver até onde iria essa tua rebeldia.Agarraste-me os pulsos, beijaste-me a boca dum gole só. Engoliste a minha alma com um beijo, sentiste toda a minha vontade de te ter ali, naquele momento.Queria que esse momento nunca acabasse..
.